top of page
Fundo Escola do Flow Espectro Final.png
  • Foto do escritorZonasuburbana

80 SUBGÊNEROS DO RAP E COMO IDENTIFICA-LOS!


Como entender os subgêneros do Rap?

Muito além do TRAP, do GANGSTA e do BOOM BAP, uma pesquisa recente mostrou que existem mais de 80 subgêneros do Rap, ou seja, mais de 80 formas de articular o ritmo e a poesia, que é um dos 4 elementos do Hip Hop. São diversos assuntos, diversas perspectivas, diversas formas de calcular o tempo da batida e diversas melodias. Como entender tudo isso?


O que se têm feito é dividir todos os subgêneros do Rap através de 4 grandes categorias:


Divisão por Período Histórico;

Divisão por Região dos EUA;

Divisão por Ritmo, Tema ou Elementos Melódicos;

Estilos Musicais Novos Que Nasceram do Rap;


O que é importante então levar em conta na hora de entender melhor um subgênero do Rap ? De acordo com esse modelo, vale a pena, para cada subgênero, responder a essas perguntas:


A) Qual a origem histórica desse subgênero?

B) Onde surgiu esse subgênero?

C) Quais são os elementos rítmicos desse subgênero?

D) Os rappers desse subgênero costumam falar sobre quais assuntos?

E) Quais são os elementos melódicos desse subgênero?

F) Esse subgênero se relaciona com algum outro gênero musical que nasceu do Rap? (Como o Dancehall, por exemplo)

G) Os artistas desse subgênero, na verdade, não se consideram de um novo estilo que não é o próprio Rap?


Um dos pontos positivos dessa divisão toda é que fica mais fácil, dessa forma, entender cada subgênero e, com essa categorização, é possível entender um pouco da história de cada subgênero. Um dos pontos negativos é o fato da divisão ser ainda bastante americanizada e não levar em consideração outros elementos regionais, como, por exemplo, a diferença no Brasil entre raps feitos em Estados do Nordeste e raps feitos em Estados do Sudeste, por exemplo. Ou a diferença entre os raps produzidos no Brasil e raps produzidos em países Africanos (onde há, também, uma grande diferença entre países que falam português e países que falam francês).


Sem mais delongas, segue a lista completa abaixo:


Categoria <1>: Divisão Por Períodos Históricos


Hip Hop Roots / Raízes do Hip Hop (principalmente considerando os anos 1970);

Hip Hop Old School / Hip Hop Clássico (principalmente entre os anos 1980 e o começo dos anos 1990);

Hip Hop Golden Age (especialmente entre a metade dos anos 1990 e os anos 2000);

Hip Hop New School (especialmente entre 2000 e 2010);


Categoria <2>: Divisão Territorial nos EUA


LESTE (NOVA YORK): especialmente o Boom Bap e o Hardcore;

LESTE (FILADÉLFIA): Washington, Jersey, Maryland, Baltimore, Virginia): especialmente o Gangsta Rap;

CENTRO-OESTE (Chicago, St Louis, Twin Cities, Detroit): especialmente o Ghetto House;

SUL (Atlanta, Nova Orleans, Memphis, Tennessee, Houston, Miami, Florida): especialmente o Trap e o Crunk;

OESTE: especialmente o Gangsta Rap e o West Coast;


Categoria <3>: Divisão por Ritmo, Tema ou Elementos Melódicos


Alternative Hip Hop: especialmente Atentado Napalm, MOVNI e Danny Brown.

Avant-Garde Hip Hop: pode-se incluir nomes como Clipping e Prince Paul.

Breakbeat: DJ Kool Herc, Afrika Bambaata e 2 Live Crew, por exemplo.

Britcore: Hijack, Killa Instinct e Huntkillbury Finn por exemplo.

Boom Bap: Rincon Sapiência e InterRaps, por exemplo.

Bounce Music: Big Freedia e David Banner, por exemplo.

Braggadocious Rap: Cabal e 22 Savage, por exemplo.

Chap Hop: Professor Elemental e Mr. B the Gentleman Rhymer, por exemplo.

Chicano: Baby Bash e No Panty, por exemplo.

Chopped and Screwed: Chamillionaire e PSK-13, por exemplo, produzem músicas também dentro desse subgênero.

Chopper: Bone Thugs-n-Harmony, Sabotage, Twista e Tech N9ne, por exemplo.

Christian Hip Hop/ Hip Hop Cristão: Pregador Luo e Apocalipse 16, por exemplo.

Contemporary R&B: R. Kelly, Alicia Keys, Usher e Beyoncé, por exemplo.

Conscious Hip Hop: Facção Central, Racionais MC’s, Visão De Rua/ Dina Di, RZO e Public Enemy, por exemplo.

Cowntry-Rap: Cowboy Troy e Colt Ford, por exemplo.

Crunk: especialmente Lil Jon e o começo da carreira de Soulja Boy.

Crunkcore: 3OH!3 e Blood On The Dancefloor, por exemplo.

Crunk-Hop: Geralmente remixes, com forte influência da música eletrônica.

Cloud Rap: Síntese, Kid Cudi e A$AP Rocky, por exemplo.

Dirty South: T.I., Lil Jon, Ludacris, OG Maco, Childish Gambino, entre outros.

Drill: especialmente Chief Keef.

Electro Hop: Warp 9, Sugar Hill e Afrika Bambaataa, por exemplo.

Experimental Hip Hop: Death Grips, Danny Brown, Kendrick Lamar e MOVNI, por exemplo.

Freestyle Rap: Emicida, Kanye West, Marcelo D2 e todos que participam de Batalhas de Rimas.

Funk Melody: Beyoncé, Aaliyah, Pussycat Dolls e muitos MC’s do funk carioca (Nego do Borel, Anitta, entre outros)

Forró/Repente Rap: RAPadura, algumas músicas do Rappin’ Hood e alguas músicas da Karol Conka e Artigo 2.

G-Funk: Dr. Dre, Snoop Dogg, Bone Thugs-n-Harmony, entre outros.

Gangsta Rap: Sabotage, 2Pac, N.W.A., Wu-Tang Clan, Racionais MC’S, entre vários outros.

Ghetto House: DJ Rashad, DJ Deeon e Dude’N Nem, por exemplo.

Ghettotech: Dj Assault e DJ Godfather, por exemplo.

Glitch Hop: David Tipper e The Glitch Mob, por exemplo.

Go-Go Hip Hop: Kendrick Lamar, Anderson .Paak e Mano Brown em carreira solo, por exemplo.

Gospel Rap: Visão de Rua/Dina Di, Pregador Luo, Apocalipse 16, D’Alma e Gangsta Krent, por exemplo.

Grime: Dizzee Rascal, algumas músicas de Tinie Tempah e Wiley, por exemplo.

Hardcore Hip Hop: RPW, Wu-Tang Clan, Public Enemy e N.W.A., por exemplo.

Hip Hop Soul: Mary J Blige, R Kelly e TLC, por exemplo.

Hip House: Zebra Katz, Cakes da Killa e Gloria Groove.

Horrorcore: Gravediggaz, Flatlinerz e Scarface, por exemplo.

Hyphy: Lil B, Too $hort, E-40, entre muitos outros.

Industrial Hip Hop: Death Grips, Moodie Black e DJ Spooky, por exemplo.

Instrumental Hip Hop: quaisquer DJ’s que façam batidas sem a rima de um MC. São mais comuns em canais do YouTube ou perfis do SoundCloud onde muitos DJ’s (em geral com pouca visibilidade) compartilham as batidas que criaram.

Jazz Rap: J Cole, Kendrick Lamar, entre outros.

Jerkin’: Rej3ctz e New Boyz, especialmente.

Jersey Club: especialmente Dj TaMeil, Dj Tim Dolla, entre outros.

Low Bap: Active Member e B.D. Foxmoor, por exemplo.

Mafioso Rap: Kool G, Jay Z, Lil Kim, Jadakiss, entre muitos outros.

Miami Bass: 2 Live Crew, Freak Nasty, 69 Boyz, entre outros.

MPB Rap: Criolo, Thabata Lorena, Lourena, etc.

Native American Hip Hop: Melle Mel, Funkdoobiest, Litefoot, King Just, Ol’ Dirty Bastard, etc.

Neosoul: Bryson Tiller, Bj The Chicago Kid, Jeremih, a carreira solo de Mano Brown (com o disco Boogie Naipe), entre muitos outros.

Nerdcore Hip Hop: MC Frontalot, Blackalicious, MC Router, entre outros.

Neurohop: Kursa, Skope, Koan Sound, entre outros.

Political Hip Hop: Racionais MC’S, Facção Central, Public Enemy, RZO, N.W.A., Luana Hansen, Visão de Rua/Dina Di, entre outros.

Pop-Rap: Drake, Black Eyes Peas, algumas músicas de Wiz Khalifa, algumas músicas de Snoop Dogg, entre outros.

Porno Rap/ Dirty Rap/ Sexrap/ Pornocore: Missy Elliot, Nicki Minaj, 50 Cent, Lil Wayne, 2 Chainz, Bonde da Estronda, Tech N9ne, entre outros.

Queer Rap/ LGBT Rap: Rico Dalasam, Gloria Groove, Quebrada Queer, Mademoisele Lulu Monamour, Cakes da Killa, Zebra Katz, Le1f, Angel Haze, entre muitos outros.

Ragga Hip Hop: Asher D, Cidade Verde Sounds, Sean Paul (no começo da carreira), Lady Shaw, AfroRagga, Damian Marley, entre outros.

Rap Opera: o filme “Carmen: A Hip Hopera”, a série “Trapped In The Closet” de R. Kelly, entre outros.

Rap Rave: especialmente o duo Die Antwoord, entre outros.

Rap Rock: Run-DMC, Beastie Boys, Rage Against the Machine, Public Enemy, Planet Hemp, entre outros.

Rap Core:  Planet Hemp, Charlie Brown Jr. Linkin Park, Limp Bizkit entre outros.

Rap Metal: Rage Against the Machine, Cypress Hill, Dog Eat Dog, entre outros.

Ratchet: Juicy J, Mr Mandigo, Cam’Ron, Future, entre outros.

Reggae Rap: Grubson, o álbum “Distant Relative” de Nas e Damian Marley, Black Alien, BNegão, entre outros.

Snap Music: Dem Franchize Boys, Cherish, Slim Thug, algumas música do T.I., algumas músicas do Soulja Boy , algumas músicas do Bonde da Stronda, entr outros.

Samba Rap: Marcelo D2, algumas músicas de Criolo e algumas músicas da Karol Conka.

Slab Music/ Hip Hop de Quebrada: Racionais MC’S, Chief Keef, Public Enemy, Dj Kool Herc, Visão de Rua/ Dina Di, entre muitos outros.

Stronda Music: Prexeca Bangers, Bonde da Stronda, Chaparraus Nutrs, Divisão dos Playssons,

Storytelling Rap/ Rap Contador de Histórias: Emicida, Racionais MC’s, Rashid, Kendrick Lamar, Facção Central, Eminem entre muitos outros.

Swing Hip Hop: algumas músicas de Christina Aguilera (especialmente do álbum “Back to Basics”), algumas músicas de Kool G Rap, a MC Arianna Puello, entre ourtos.

Trap: Gucci Mane, Migos, Famous Dex, Young Thug, 21 Savage, Lil Uzi Vert, Future, entre muitos outros.

Trap-n-B: algumas músicas do rapper 24hrs, Ty Dolla $ign, The Weekned, algumas músicas de Tony Lanez, entre outros.

Turntablism: Invisibl Skratch Piklz, Beat Junkies, X-Ecutioners, DJ Prime Cuts, entre outros.

Underground Hip Hop: Mos Def, A Tribe Called Quest, MF Doom, 2Pac, Notorius Big, A286, Facção Central, Wu-Tang Clan, Tech N9ne, Racionais MC’s, RZO e grande parte dos MCs brasileiros.

Urban Pasifika: Ché-Fu, King Kapisi, Dei Hamo, Deceptikonz, entre outros.

West Coast Hip Hop: J Cole, Kendrick Lamar, Ab-Soul, ScHoolboy Q, entre outros.


Categoria <4>: Estilos Musicais Novos que Nasceram do Rap

Bongo Flava (Tanzânia) Cumbia Rap (Colômbia) Dancehall (Jamaica) Grime (Reino Unido)

Hip-Hop (EUA) Hiplife (Gana) Igbo Rap (Nigéria) Kwaito (África do Sul)

Kuduro (Angola) Low Bap (Grécia) Merenrap / Merengue House (República Dominicana) Motswako (Botswana)

Reggaeton (Porto Rico) Songo-Salsa (sem origem conhecida, por enquanto) Trip hop (Reino Unido) Urban Pasifika (Nova Zelândia)

Neurofunk**

New Jack Swing**


CONCLUSÃO

Há controvérsias nas origens e precursores de cada subgênero em diversos pontos (por exemplo T.I. se coloca como rei do Trap e outros dizem que Gucci Mane é o Deus do Trap), mas o essencial é compreender que existe uma diversidade enorme de estéticas dentro do Rap e como o estilo consegue ser versátil de maneira tão extensa.

173 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page